Minicursos

O evento conta com a realização de minicursos ministrados por profissionais e professores da área e têm como intuito gerar uma atualização profissional. O participante poderá realizar a inscrição em mais de um minicurso desde que não haja sobreposição no horário.

Confira abaixo a programação, os valores de inscrição e a descrição de cada minicurso.

Renda-se: Nhanduti como Linguagem Visual

Ministrante: Vagner Carvalheiro

42 anos, de bem com a vida, apaixonado por moda, trabalhos manuais, Clodovil e bonecas Blythes. Amante das cores amarelo, azul, cru, cinza e branco. Coordenador e professor na área de moda na Escola Técnica Estadual José Rocha Mendes – SP, idealizador do Farol da Moda.

 

 

DATA: 02. Setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: O participante terá a oportunidade de conhecer a história da renda Nhanduti (renda Sol, renda tenerife); vivenciar os materiais necessários para a confecção das matrizes (bastidores); produzir individualmente uma matriz/bastidor; conhecer linhas e fios para a produção da renda; experienciar a confeccção de renda de agulha (produzindo individualmente uma peça de renda Nhanduti); conhecer a utilização de renda Nhanduti na produção de vestuário.
LOCAL: Laboratório de Tecnologia Têxtil – 1º andar Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) retalhos de tecido de algodão cru ou tricoline liso e cor clara com 0,50m por 0,50m (ou medida aproximada).
2) linha de costura branca.
3) agulha de costura à mão (o número que desejar e/ou que o aluno tiver familiaridade).
4) agulha de tapeçaria grossa e sem ponta (o número que desejar e/ou que o aluno tiver familiaridade).
5) linhas, lãs, fios variados na(s)  cor(es) desejada(s): tricô, crochê, bordado, de novelo.
6) linha de costura (retrós) na(s)  cor(es) desejada(s).
7) tesoura.
8) papel cartão ou holler ou papel madeira 0,50m por 0,50m (ou medida aproximada).
9) 01 caixa de alfinetes de costura simples, com cabeça de metal.
10) 01 caixa (ou um disco) de alfinetes de costura com cabeça arredondada (cabeça de pérola).
11) 04 placas de isopor reciclável daqueles utilizados em embalagens de frios no tamanho desejado.
12) papel e caneta para anotações.
NÚMERO DE VAGAS: 20.

Moulage Contemporânea

Ministrante: Bethina Oger Garcia

Formada em Design de Moda pela FAAP, Mestra em Educação, Arte e História da Cultura e fez um curso de criação na Inglaterra. Trabalhou em ateliês de moda por São Paulo, atuou como figurinista em algumas peças estrangeiras, trabalhou no Ricardo Almeida na parte de desenvolvimento de Produto, teve seu próprio ateliê e hoje é Sócia do Lab Fashion, um coworking de moda que promove cursos de moda e arte.

 

DATA: 02. Setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: É um curso que explora a moulage como uma nova forma de criar uma coleção, portanto ensina técnicas estudadas na Inglaterra que fazem com que a capacidade criativa do participante seja aflorada, assim podendo construir algo realmente novo, colocando a mão no tecido e fazendo dele algo inovador. É um curso totalmente prático que mostra um novo olhar sob a moulage, passando uma visão mais acessível a todos, mostrando por meio das técnicas um olhar sob imagens, sob elementos geométricos e como esses elementos formam uma peça única.
LOCAL: Laboratório de Modelagem – 1º andar do Bloco Azul
LISTA DE MATERIAL:
1) um livro com imagens de arquitetura, ou casas, ou jardins (imagens que não remetam a moda).
2) 5m de tecido(algodão cru).
3) Tesoura.
4) Lápis.
5) Caneta colorida.
6) Papel Kraft 4m.
7) Alfinetes.
8) Réguas de modelagem e régua de 30cm.
NÚMERO DE VAGAS: 20.

Moda na Terceira Idade.

Ministrante: Rachel Loiola

Uma mulher que ama envelhecer! Fonoaudióloga, consultora em comunicação e imagem pessoal. Fundadora da Palavra Vestida. Doutora em Análise do Discurso e pesquisadora do Centro de Pesquisas Sociossemióticas da PUCSP onde investiga sobre os significados do envelhecer.

 

 

DATA: 02. setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Melhorias na qualidade de vida e na medicina têm proporcionado um aumento da expectativa de vida das pessoas transformando o Brasil, país de jovens, para um país de idosos. A população idosa atual apresenta um perfil diferenciado dos idosos de antigamente: são ativos, apresentam grande poder de consumo e investem em atividades de lazer, itens de beleza e vestuário. A moda torna-se assim, um segmento importante que deve oferecer de forma diferenciada opções de estilo, criação, modelagem e serviços. Esse minicurso busca apresentar, a partir de pesquisas e de uma visão sociossemiótica, a realidade dessa importante parcela da população, bem como itens indispensáveis aos negócios da Moda. Conteúdos que serão discutidos: cursos da vida e as diferenças de idade, estilo de vida e mudança social, novas imagens do envelhecimento, o idoso como fonte de recurso, o envelhecimento como novo mercado de consumo da moda, moda para terceira idade: cuidados, modelagem e estratégias de marketing.
LOCAL: Sala de Aula 19 – 1º andar do Bloco Azul
LISTA DE MATERIAL:
1) material para anotações.
NÚMERO DE VAGAS: 30.

Figurino: do design a produção.

Ministrante: Aline Barbosa

Mestra e graduada em Artes Visuais pela UNICAMP. Estudou Design de Figurino na HAW Hamburg e Design na Bauhaus Universität, ambas na Alemanha. Trabalha como figurinista desde 2010 em produções audiovisuais e de artes da cena.

 

DATA: 02.setembro
HORÁRIO: 8h às 12h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: teoria e prática sobre figurino para audiovisual e artes da cena, tanto em questões de mercado e clientes, quanto em criação, produção, equipe e as especificidades de cada linguagem. A partir disso, os participantes terão que fazer uma criação e apresentá-la.
LOCAL: Sala de Aula D15 – Térreo do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Folhas sulfite.
2) Lápis HB e lápis de cor (ou outro material de preferência do participante).
NÚMERO DE VAGAS: 20.

 

Afro Joias: História e Criação de Artefatos a partir de Utilização de Material Reciclado

Ministrante: Suelen Karini Almeida de Matos

Mulher negra, designer de moda graduada em Curitiba no ano de 2016, onde iniciou suas pesquisas na temática de estética negra, onde levou a temática como tema de seu TCC, recebendo um prêmio da universidade como o melhor projeto teórico do curso. Especialista em Cultura Afro-brasileira, acredita que a moda é uma ferramenta de luta e expressão de todas as gerações.

 

DATA: 02. setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Conteúdos que serão abordados: história dos acessórios africanos, história das afro-joias brasileiras no período colonial, contexto de moda atual: público alvo (geração tombamento). Estimulo criativo a partir da semiótica de Pierce, metodologia básica de criação de produtos, desenvolvimento e produção.
LOCAL: Sala de Aula D14 – Térreo do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Revistas usadas.
2) Cola.
3) Tesoura.
4) Lápis de cor.
5) Giz.
6) Tintas (guache e/ou aquarela).
7) Caixa de leite ou suco.
8) Tecidos diversos (100% algodão).
9) Cola extra forte.
10) Pincel ou rolo.
11) Fecho para brincos.
12) Alicate.
13) Tesoura grande.
14) Régua.
15) Caneta.
NÚMERO DE VAGAS: 20.

Bordado e Pintura

Ministrante: Zina Leal

Artista Plástica, Estilista e Mestranda em Design e Tecnologia do Vestuário. No seu ateliê, tecidos, tintas e linhas servem de instrumentos para o exercício de contar histórias através de painéis artísticos, roupas e brinquedos de pano.

 

DATA: 02. setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Valorizar o bordado como forma de expressão para a composição da linguagem visual. Perceber novas possibilidades de enriquecer um desenho, ao mesclar o uso da agulha, linha e da pintura. Relacionar a percepção da cor e da forma com outros fatores da percepção sensorial global. Conteúdo: – Noções de composição do bordado com a pintura. – Relação da forma e do espaço. – Pontos básicos de bordado. – Pintura com pastel ou caneta hidrocor sobre o tecido. – Execução de exercício de bordado com pintura.
LOCAL: Sala de Aula D13 – Térreo do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Material de costura.
NÚMERO DE VAGAS: 15.

Projetar a Forma: estratégias para impulsionar o processo criativo.

Ministrante: Patricia de Mello Souza

Pós-doutora pelo Politecnico di Milano, doutora e mestre em Design pela Unesp, pós-doutoranda no Programa de Têxtil e Moda da EACH/USP. Pesquisadora e docente na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Investiga a modelagem, especialmente a tridimensional, como instrumento de criação de produto e como técnica determinante no estudo da forma e de novos processos e estratégias de construção para o vestuário de moda; adota a cross fertilization como método gerador de inovação. Pesquisa e explora alternativas que vinculam o aprendizado sobre o comportamento de materiais ao ensino da modelagem.

Ministrante: Maria Celeste de Fátima Sanches

Designer, professora e pesquisadora no campo das metodologias de design e da linguagem visual. Doutora em Ciências (área de concentração: design e arquitetura USP-Brasil) e em Diseño, Fabricación y Gestión de Proyectos Industriales (UPV- Espanha). Autora do livro “Moda e Projeto: estratégias metodológicas em design”.  Representante Internacional da Abepem. Possui ampla experiência na formação de designers de moda, com diversas publicações e desenvolvimento de métodos sistêmicos para a gestão do processo projetual no âmbito educacional.

 

DATA: 02. Setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h e das 14 às 18h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Noções sobre o processo projetual no design de moda. A forma como projeto: implicações técnicas, estéticas e funcionais na configuração do vestuário. Conceito Gerador e Sintaxe da Forma. Estratégias facilitadoras do pensamento projetual: a síntese gráfico-visual e a experimentação tridimensional.
LOCAL: Sala de metodologias ativas – Térreo do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Revistas para recortar.
2) Tesoura.
3) Alfinetes.
4) Agulha.
5) Linha de costura branca.
6) Cola.
7) 1,5 m de feltro branco.
NÚMERO DE VAGAS: 30.

Artesanato, Moda e Novas Formas do Audiovisual.

Ministrante: Romero Sousa

Estilista e Consultor Criativo, participou de edições da Premier Vision em Paris. Suas inspirações vêm das iconografias nordestinas, utilizando materiais regionais aliado ao artesanal. Formado em Artes com especialização em Moda UFPB.

 

 

Ministrante: Rogério Ortiz

Rogério Ortiz, atua na área de corpo mídia, pelas vias da fotografia e do audiovisual de moda e dança desde 2000. Mestre em Comunicação e Semiótica, PUCSP.

 

 

DATA: 02. Setembro.
HORÁRIO: 8h às 12h e das 14 às 18h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Tecer uma rede de relações no universo do artesanato, da fotografia e audiovisual. Com objetivo de promover um espaço aberto para o convívio, dedicado ao desenvolvimento artístico e intelectual.
LOCAL: Laboratório de Fotografia e Sala de Aula 26 – 1° andar do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Material para anotação.
NÚMERO DE VAGAS: 25.

 

“Produzo Mundos, Visto Poesia”. Um curso prático de reflexão sobre moda, vestuário e linguagem.

Ministrante: Guido Conrado

Mestre e Doutorando em Filosofia pela PUCRJ Integra desde 2017 o Rés_Design, um híbrido de grupo de estudos e laboratório de experimentação em processos, produtos e maneiras de fazer. Informações Rés_Design: https://resdesigncolaborativo.blogspot.com/?m=1

 

 

DATA: 04. Setembro e 05. Setembro.
HORÁRIO: 8h às 10h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Vestir-se é um ato [poético] de autoprodução social. Dizemos poético em razão de poesia e produção terem a mesma origem no grego – poiesis – e com isso queremos chamar atenção para o fato de que produzir moda não pode ser confundido com “apenas fabricar” roupas. Trata-se de um ato estético – do grego Aesthesis (“o modo como as coisas do mundo me afetam”) – e político – modo de ser do homem livre na pólis – termos, nesse caso, indissociáveis, visto que ambos se referem às maneiras como o sujeito se expõe no mundo público, no meio social do qual faz parte ou no qual pretende se inserir. O designer, além de não criar sozinho (há uma ampla gama de co-criadores envolvida no processo – modelistas, designers de estampas, pesquisadores de tendências, industriais têxteis, etc.) não cria também apenas com tecidos, desenhos e modelagens, cria sobretudo com a linguagem, a produção de sentidos, as formas de ser e se comportar, os valores e maneiras de pertencer ao mundo e os modos de distribuição dos lugares (sociais, políticos, culturais, pessoais, etc.) dos indivíduos. As convergências entre moda, vestuário, produção de linguagem e formas vestíveis são parte dos temas que serão tratados no minicurso.
LOCAL: Laboratório de Tecnologia Têxtil – 1° andar do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Material para anotação.
NÚMERO DE VAGAS: 25

 

Intervenção na Base da Saia: Traços Assimétricos.

Ministrante: Danuzí Maria da Costa Oliveira

Formada em Design de Moda em 2011 pela Faculdade Novafapi. Especialista em Negócios e Stylist de Moda em 2012 pelo Centro Universitário Uninovafapi. Instrutora Horista do Segmento Moda do SENAC-PI desde 2015.

 

 

 

DATA: 04 e 05. setembro.
HORÁRIO: 8h às 10h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Desenvolvimento criativo de linhas e formas. Capacidade de interpretação. Elaboração e desenvolvimento de novas formas a partir da base.
LOCAL: Laboratório de Modelagem – 1° andar do Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Kit de réguas de modelagem.
2) 02 metros de papel kraft.
3) 1,5 metros de algodãozinho.
4) alfinetes.
5) tesoura.
NÚMERO DE VAGAS: 15.

 

Histórias do vestir masculino: da antiguidade clássica à contemporaneidade.

Ministrante: Maria Claudia Bonadio

Doutora em História pela Unicamp, professora da Universidade Federal de Juiz de Fora. Autora dos livros “Moda e sociabilidade” (1997), “Moda e Publicidade” (2014) e co-organizadora dos livros “História e Cultura de Moda” (2011) e Histórias do Vestir Masculino” (2017). Tem artigos publicados em revistas nacionais e internacionais, como Fashion Theory e International Journal of Fashion Studies. Coordenadora do GT: Moda, Cultura e Historicidade.

DATA: 04 e 05. setembro.
HORÁRIO: 8h às 10h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: A proposta é abordar questões relativas ao vestuário masculino sob uma perspectiva histórica, observando como a ideia corrente do que é considerado masculino são construções culturais elaborada e transformada diversas vezes ao longo da história da moda no Ocidente. Peças de vestuário, cores e materiais hoje considerados masculinos ou femininos, nem sempre tiveram essas significações. A separação entre masculino e feminino foi se constituindo através do vestuário desde a Antiguidade Clássica, até a contemporaneidade, assim observarei como em outros períodos, maquiagem, salto alto, ou roupas não bifurcadas eram consideradas signos de virilidade. Pretende-se ainda tratar de como o vestuário foi utilizado por alguns personagens como uma forma de resistência em relação às identidades de gênero, especialmente a partir do século XVIII. Assim notarei ainda, como o vestir masculino pode ser apropriado por mulheres ou questionado por homens que fazem usos performáticos de sua indumentária. Notarei ainda, como, apesar das mudanças ocorridas na sociedade a partir da Revolução Sexual dos anos 1960, que propagou a moda unissex, ou mais contemporaneamente quando se difunde (e se reivindica) a moda sem gênero, as roupas e as imagens das roupas ainda são fortemente marcadas pela divisão masculino e feminino e usos mais radicais do vestuário, como saias para homens se restringem permitidos apenas para determinados grupos.
LOCAL: Sala de Aula Teórica – Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Papel e caneta para anotações.
NÚMERO DE VAGAS: 30.

 

“Seu artigo foi aceito!”: dicas para a submissão de trabalhos em periódicos e eventos científicos.

Ministrante: Adriana Baggio

Publicitária, mestre em Letras e doutora em Comunicação e Semiótica. Pós-doutoranda em Tecnologia e Sociedade (UTFPR). Professora e pesquisadora nas áreas de semiótica, comunicação, gênero e moda. Membro do Centro de Assessoria de Publicação Acadêmica (CAPA) da UFPR. Parecerista e revisora de periódicos científicos. Editora-executiva da revista dObra[s].

 

DATA: 05.setembro.
HORÁRIO: 8h às 10h.
DESCRIÇÃO DO MINICURSO: Uma das atribuições do pesquisador experiente ou em formação é a apresentação e publicação de sua pesquisa ou de outras produções acadêmicas em eventos e periódicos científicos. A publicação é exigida tanto para fins de titulação quanto para os processos seletivos em instituições de ensino superior, bem como para a progressão na carreira. No entanto, pesquisas excelentes às vezes não conseguem ser publicadas devido a problemas na adequação do artigo às normas dos eventos e periódicos científicos. Neste minicurso, os participantes receberão orientações sobre: como buscar o periódico/evento científico mais adequado ao seu perfil, como verificar a classificação do periódico na Capes, quais os critérios gerais de avaliação de artigos, quais as reclamações mais frequentes dos editores de revistas científicas (e como não cometer os erros que eles apontam), como estruturar um artigo e como estruturar um resumo.
LOCAL: Sala de Aula Teórica – Bloco Azul.
LISTA DE MATERIAL:
1) Papel e caneta para anotações.
NÚMERO DE VAGAS: 30.

Os comentários estão encerrados.